Open top menu
quarta-feira, 10 de julho de 2013


Dando sequência aos posts de automação com RaspBerry, vamos conhecer o que é o RaspBerry e como ele vai nos ajudar no nosso projeto.




O que é o RaspBerry?

Pela definição dos criadores, ele é um um computador do tamanho de um cartão de crédito que pode se conectar à sua TV e um teclado. Pode ser usado para muitas das coisas que o seu PC faz, como planilhas, processamento de texto e jogos. Ele também reproduz vídeos de alta definição. Queremos vê-lo sendo usado por crianças de todo o mundo para aprender programação. Eu acrescento que ele torna acessível a todos a criação de projetos que antes eram complexos e caros.


Atualmente, o Raspberry possui duas versões: A e B, as principais diferenças entre as duas é que a versão B possui conexão para ethernet, dois conectores USB (versão A apenas um) e 512Mb de memória.



Versão A






Versão B





Vamos usar a versão B.




Conexões







A imagem acima apresenta as conexões do RaspBerry, entre elas destaco a GPIO, ela que diferencia o RaspBerry de um PC comum e que vai facilitar a conexão com a placa de comando do projeto. Vamos conhecer a pinagem:


Todos os pinos GPIO pode ser usado como entradas ou saídas digitais. Os pinos SCL e SDA podem ser usados para interface I2C. Os pinos Mosi, MISO e SCKL podem ser usados para se conectar a dispositivos SPI de alta velocidade.


Os pinos GPIO do RaspBerry têm níveis lógicos de 3,3 V e não 5V, de modo que os níveis de sinais podem variar de 0 até 3.3V, nunca sendo superior a 3,3V. 


Montando o SDCard com o sistema operacional Linux.

Para utilizar o Raspberry Pi, você vai precisar de um SDCard com tamanho igual ou superior a 4Gb para instalar um sistema operacional Linux, será usado o roteiro disponibilizado no quick-start-guide do RaspBerry.

Formatando o SD com a ferramenta de formatação SD Card Association’s.


Configurando "FORMAT SIZE ADJUSTMENT" option to "ON".




Cartão formatado.



Arquivo baixado em downloads.raspberrypi.org/noobs e descompactado na raiz do SDCard.



 Conectando a fonte de alimentação, SDCard, placa de comando, teclado, mouse e cabo HDMI.


Ao ligar a alimentação é apresentada a tela colorida de inicialização.


Em seguida o menu para escolha da distribuição do linux para instalação.


Selecionada a opção Raspbian para instalação.


Instalação em andamento.


Durante a instalação são apresentadas algumas dicas, como usário e senha padrão.


Após a instação o sistema reinicia e é apresentado um menu para configurações do sistema operacional, nehuma alteração foi feita nesse momento.


Confirmando a finalização do setup.


Boot.


O sistema operacional está instalado, configurado e iniciado.


Acessando o blog pelo RaspBerry.



Podemos ir para o último post da série para montagem do servidor WEB para controle da placa de comando.

Tagged

4 comentários :

  1. Excelente. Já indiquei para um pessoal que conheço e tem interesse em RaspBerry.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Adnilson, dentro de alguns dias devo postar o site para comando.
      Abs.

      Excluir
  2. Boa madrugada.
    Dou-te os parabéns pelo intuitivo e prático blog que administras.
    Comecei a pesquisar por impressoras 3D e penso que encontrei a orientação certa.
    Penso montar uma impressora 3D com capacidade de imprimir dimensões de 290*270*220mm, similar a esta que vi neste site: http://www.3dstuffmaker.com/shop/index.php?route=product/product&product_id=64 .
    Seguindo o teu blog, iniciaria algumas compras, montagens e depois perturbava-te em caso de dúvidas de aquisição de peças ou montagem.... Poderei contar com o teu auxílio?
    Também gostaria do teu ponto de vista da tua experiência: É muito custoso ou inviável construir uma impressora com capacidade de imprimir dimensões de 1700*400*400 (para produzir grades de automóvel e peças similares)?
    Desde já, agradeço a tua partilha de conhecimento.
    Att
    Pedro
    PedroLopes034@gmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Pedro, boa noite! Obrigado!

      Quanto suas dúvidas:
      1- O modelo V2 já é ultrapassado, vc tem um custo maior para montagem da estrutura, e é mais díficil de montar e alinhar. Temos atualmente as Prusa I3 e a Graber I3 como melhores opções, inclusive já migrei a minha para uma Graber I3.

      2-Quanto ao tamanho de impressão, a dimensão 290*270*220mm já começa a ser inviável, primeiro pelo tempo de impressão, vai passar de 24hs e outros problemas como Warp e Descolamento de camadas. Uma dimensão maior seria interessante para impressão de objetos onde apenas um dos eixos fosse muito maior que os outros, como vasos, torres, planta de uma casa, etc.

      3- Esse tipo de impressora é inviável para peças com dimensões de 1700*400*400, supondo que o tempo de impressão não fosse o problema, a estrutura deveria ser reforçada de forma que seria necessário utilizar motores com mais torque, onde a eletrônica convencional não atenderia.

      4- Hoje trabalhamos principalmente com 2 tipos básicos de materiais:
      -PLA (Não tem problemas de descolamento, tem aspecto de acrilico, a peça não pode ser submetida acima 90º que começa a deformar)
      -ABS(Problemas de descolamento de camadas em objetos grandes, peça mais rígida, peça pode ser submetida a temperaturas maiores)
      Geralmente para polias, eixos, suportes, peças que exigem uma maior resistencia eu uso ABS e caixas, objetos maiores PLA.


      Excluir